Semente

Sementes Bonsai

Criar um bonsai a partir da semente é sem dúvida um dos métodos mais demorados. No entanto, se se souber exactamente o que fazer pode obter-se um bonsai razoável em apenas 4 ou 5 anos. Na minha opinião, é o método mais gratificante para desenvolver bonsai. A partir de uma semente aparentemente sem vida, origina-se uma planta sobre a qual tem “total” controlo para fazer com ela o bonsai à sua medida.

Muitas vezes não se conseguem bons resultados na reprodução de árvores por este método. Existem vários factores que influenciam as taxas de nascimento, entre os quais, alguns factores fora do seu alcance. No entanto, se a semente for de boa qualidade e seguir os passos certos conseguirá mais plantas do que as que precisará e com custos reduzidos. O método que indico a seguir é o que eu uso na prática com resultados aceitáveis.

Onde obter sementes

Pode recolher sementes na Natureza, investigando nas redondezas árvores adequadas que as tenham. Devem ser recolhidas no momento em que começam a cair, quando estão maduras. Escolha árvores com aparência saudável, que normalmente têm as sementes mais desenvolvidas. Devem ser armazenadas quando secas num local frio e longe da humidade.

Outro método, embora menos barato mas mesmo assim muito em conta, é comprar as sementes on-line. São facilmente adquiridas pela Internet e as espécies disponíveis são infindáveis. Os métodos de recolha e armazenamento são também melhores elevando os resultados obtidos. Há algum tempo atrás coloquei no google a frase “seeds on-line” e a primeira empresa da pesquisa foi uma empresa britânica, a chiltern seeds. Depois de analisar outras hipóteses pareceu-me que esta seria a mais acertada. Fiz uma encomenda e qual o meu espanto quando após alguns problemas com o pagamento sou informado que as sementes seriam enviadas mesmo sem este estar efectuado. Assim foi, três dias depois tinha as sementes e um catálogo em papel. Acabei por enviar o pagamento por vale dos correios e, desde aí, não preciso de procurar outro fornecedor. Oferecem um grande leque de espécies, correctamente armazenadas e enviadas. Incluem também um guia para a sementeira. Não quero com isto dizer que têm o melhor serviço ou as melhores sementes, é apenas a partilha de uma boa experiência que pelo profissionalismo merecem que o faça. Eu gostaria de ter tido um conselho assim quando procurei o fornecedor.

Dormência

Para evitar que as sementes germinem pouco antes do Inverno ficando assim com poucas hipóteses de sobreviver, a Mãe Natureza dotou-as de um mecanismo que normalmente se chama “dormência das sementes”. Este mecanismo faz com que as sementes não germinem sem que passem por um determinado período de temperaturas baixas e humidade – o Inverno. Quando a temperatura começa a subir na Primavera, já as sementes passaram por um período de desgaste do invólucro que protege o embrião. Desta forma, é mais fácil à água penetrar na semente que, em conjunto com o ar e a temperatura potenciarão uma série de reacções químicas que têm como resultado a germinação. Este processo, sendo pouco controlável, torna-se uma barreira à reprodução de plantas por este método.

Estratificação

A estratificação das sementes é o processo que tenta anular a sua dormência. Neste processo as sementes são submetidas a temperaturas baixas e humidade durante um certo período de tempo facilitando a sua germinação na altura própria. O procedimento que sigo é o seguinte: coloco as sementes num saco de plástico húmido fechado na prateleira inferior da porta do frigorífico onde a temperatura deve ser mais alta do que na parte de cima junto ao congelador (é claro que o seu frigorífico pode ser diferente). Deixo aí as sementes durante 2 semanas ao fim das quais passo para a prateleira de cima, onde permanecem mais 2 semanas. É importante remexer as sementes no saco regularmente. Depois, volto a colocá-las na prateleira do fundo por igual período a fim do qual as retiro. Este processo leva 6 semanas embora este período não seja restrito, pode optar por fazer isto de forma mais progressiva, se tiver mais prateleiras :) ou demorar um pouco mais em cada estádio. Não é aconselhável submeter as sementes ao congelador pois o gelo pode ser prejudicial para algumas delas. No fim desta etapa retiro as sementes do frigorífico mergulho-as num frasco com água durante 6 horas. Depois disto estão prontas para semear.

Semear

Normalmente faço a sementeira em tabuleiros de plástico perfurados ou em tabuleiros de esferovite que são divididos em pequenos módulos. Seja qual for a sua opção, lembre-se que deve lavar bem este material usando uma solução de água com um pouco de lixívia (no fim passe por água limpa). O passo seguinte é preparar o solo. Há várias receitas, e cada pessoa usa aquela que melhores resultados lhe proporciona. Por norma uso 50% de areia e 50% de turfa criando assim um meio-termo entre drenagem e humidade.

Semear: componentes e mistura do solo

Semear: componentes e mistura do solo

 

Misturo bem os dois componentes e encho o tabuleiro até alguns centímetros das superfície.Calco bem o solo para ficar ligeiramente apertado e nivelado.

Semear: preparar o tabuleiro

Semear: preparar o tabuleiro

 

Efectuo uma primeira rega para humedecer. Distribuo as sementes uniformemente e com espaço suficiente entre elas para que possam germinar perfeitamente. Depois, cubro as sementes com uma camada de aproximadamente 3 vezes a sua espessura e humedeço a superfície. Um dos aspectos mais importantes nesta fase é a quantidade de água que o solo tem, ou seja, é muito importante que esteja húmido, NUNCA encharcado. O excesso de água priva as sementes do ar, essencial para a germinação e, por outro lado potencia o desenvolvimento de vários fungos.

Semear: rega

Semear: rega

Por último, faço uma solução de fungicida de cobre (acho que nesta altura qualquer fungicida serve) e aplico na superfície. Cubro o tabuleiro com um vidro ou plástico para fazer “efeito de estufa” ajudando a manter a temperatura em valores mais altos (cuidado que não subam em demasia) e abrigo o tabuleiro num local onde não receba os raios directos do sol.

Semear: efeito de estufa no tabuleiro

Semear: efeito de estufa no tabuleiro

O cuidado a ter até à germinação é principalmente manter o solo húmido (nunca deixe secar nem encharcar). Deve também aplicar fungicida de duas em duas semanas.

Repicar

As pequenas plântulas não devem ser perturbadas até terem dois ou três pares de folhas. Nessa altura podem ser repicadas. Ou seja, segurando-as pelas folhas, levante-as com uma espátula e plante-as separadamente em pequenos vasos para que possam crescer mais livremente. O solo a utilizar nesta fase já pode conter, para além da areia e turfa, um pouco de terra normal de jardim que fornecerá outros componentes às jovens plantas.

Autores

*

Top